Siga-nos:

Informativos


ACIC presente na homenagem à Fabet

12/09/2017

A presidente da Associação Empresarial de Concórdia (ACIC), Maria Luisa Lasarim, participou na noite de segunda-feira, dia 11, de uma homenagem à Fundação Adolpho Bósio de Transportes (Fabet), que recebeu o reconhecimento pelos 20 anos da entidade, comemorados em 2017. Participaram da solenidade a equipe da Fabet, lideranças representativas e empresários locais.

O vereador proponente da homenagem e presidente do Legislativo, Artêmio Ortigara (PR) elogiou o pioneirismo da Fabet e a importância de Concórdia ser o berço de uma instituição que focou em melhorar a área de transportes, uma das matrizes econômicas mais fortes de Concórdia. “Para nós é uma honra poder homenagear está entidade que tem um papel muito importante, o de ser transformador na nossa sociedade”, destacou.

O superintendente da Fabet, Vicente Luiz Rodolfi, lembrou que a instituição é a única na América Latina, a oferecer estrutura de ensino nesta área. Ele contou a história das primeiras aulas, realizadas no Parque de Exposições, com apoio da Scania e da Prefeitura. “A história está repleta de conquistas, que passaram por diversas etapas, o que consolidou o nome da instituição. Quem diria que o pequeno sonho de qualificar motoristas em Concórdia ganharia notoriedade no exterior?!”, recordou.

Rodolfi também mostrou que os acidentes no Brasil no ano passado custaram aos cofres públicos mais de 146 milhões. Em maio de 2011, a Organização Mundial da Saúde lançou a Década de Ação pela Segurança no Trânsito 2011-2020. “Governos de todo mundo se comprometeram em tomar medidas para reduzir esta causa de morte, que é a nona que mais mata no mundo. A Fabet está fazendo a sua parte. E, é bom que se diga, por conta própria. Aprendemos que não adianta mais buscar dinheiro em alguns órgãos governamentais, porque não há recursos para educação no trânsito”, afirmou.

Ele também citou como a crise atingiu a entidade e os parceiros, mas que isto também foi fator para que a entidade mantivesse a seriedade e o trabalho de sempre. “Nós somos fiscalizados por três Conselhos da instituição e nossas contas são apresentadas ao Ministério Público, sendo que até 2015 todas foram aprovadas”, destacou ao reforçar que “o trabalho da Fabet é nobre, porque trata de salvar vidas. E, estas não têm preço. Vamos mudar a dura realidade do trânsito brasileiro com a educação”, afirmou.

Educação para mudar números trágicos

O diretor geral da Fabet, Luis Carlos Schaurich, utilizou o exemplo do acidente na BR 101, no Espírito Santo, onde 11 pessoas morreram para fazer um questionamento e provocar uma reflexão. “Até quando nós vamos nos deparar com cenas como esta? Causadas pela imprudência de motoristas despreparados que fazem pouco caso da vida sua e da vida dos outros. A ultrapassagem indevida como esta é a causa mais perigosa dos acidentes no Brasil, nos últimos anos, seguidas pela ingestão do álcool”, informou.

Ele também pediu para que a legislação no trânsito se torne mais rígida. Schaurich, enquanto um motorista que mata alguém dirigindo não é punido. “É difícil aceitar que alguém que tira a vida de outro no trânsito, responda em liberdade e no final, sequer termine preso”, lamentou ao dizer que isto faz com que as pessoas continuem cometendo os excessos no trânsito.

Para ele, até mesmo o processo para a concessão da a carteira de motorista deveria ser mais rigoroso, “para que no trânsito estejam motoristas e não pilotos, com mais responsabilidade, já que a formação é muito básica”.

Schaurich apontou que as montadoras investiram milhões de dólares e euros em tecnologia dos caminhões e ônibus. “A máquina evoluiu. Mas o ser humano não conseguiu acompanhar a evolução. Por que? Porque somos resistentes a mudança. Porque achamos que dirigir basta”, pontuou.

Para ele, ao complementar 20 anos, os desafios da Fabet, são os mesmos. “É bem verdade que algumas empresas quebraram o paradigma, mas ainda estamos longe do ideal. Precisamos insistir porque é apenas com a educação que vamos conseguir mudar está realidade do trânsito brasileiro”, disse ao agradecer o trabalho de toda a equipe da Fabet, pedindo para que “ninguém deixe a chama se apagar, em busca dos próximos 20 anos”.

A homenagem dos parceiros
O presidente da Coopercarga, Osni Roman, disse que “a Coopercarga se transformou em outra empresa depois de passar pela Fabet, com muito mais profissionalismo”. Ele lembrou que o Programa Caminhão Escola começou também com o apoio da cooperativa.

Roman agradeceu também o apoio da equipe da Fabet, já que ele também foi diretor geral da entidade. “Nossos esforços serão cada vez maiores para salvar vidas. O trânsito é um ambiente coletivo, onde a realidade precisa ser revista e nós estamos todos empenhados neste processo”, ressaltou. A entidade entregou uma placa comemorativa para o superintendente da Fabet, Vicente Rodolfi.

A homenagem do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas do Oeste e Meio Oeste Catarinense (SETCOM), ficou por conta do vice-presidente da entidade, Paulo Simioni. “Tem uma história que diz que o SETCOM é o pai de algumas entidades da área de transporte aqui em Concórdia. No entanto, os filhos cresceram e nós ficamos orgulhosos da conquista. Falar da Fabet nos orgulha e nos emociona”, ressaltou ao entregar uma placa para a direção da Fabet, e das senhoras Nelci Bósio e Iraci Garcia.

A emoção e o orgulho

A manifestação em nome dos idealizadores e fundadores da entidade, ficou a cargo de Márcia Bósio Aymai, filha de Adolpho Bósio, que empresta o nome da entidade. “Nós fomos pioneiros, fomos buscar tecnologia na Bélgica. Este foi o sonho de alguém e nós sonhamos juntos, para com pequenas ações provocar uma transformação. E, hoje 20 anos, nós estamos fazendo uma revolução silenciosa”, comentou.

Para ela, “o que mais mata, não são os motoristas de caminhão, mas é a pressa de todos chegarem”. Márcia disse que a corrupção que impede a melhoria das rodovias também já tirou muitas vidas. “Vamos continuar o que podemos para levar o nome de Concórdia para o resto do Brasil”, afirmou ao lembrar do dia que o pai foi convidado para ser homenageado com o nome para a entidade.

A secretária municipal de Educação, Márcia Calderoli, disse que falar sobre a Fabet era um grande honra. “A instituição tem uma missão nobre, salvar vidas. Nortear caminhos para isso é de um valor imensurável”, afirmou ao reforçar a importância do trabalho ímpar que está sendo desenvolvido por todo o Brasil e que tem contribuído na formação de diversos cidadãos, com foco em um trânsito mais justo, seguro e humano.


Fonte: Informações e fotos: ASCOM Câmara de Vereadores




ATENDIMENTO ONLINE Clique aqui
ATENDIMENTO OFFLINE Clique aqui